Diz Jornal - Cultura e Cinema | Documento | Nutrição | Informes | Internet | Edgard Fonseca | Pelo Whats | E! Games | Fernando Mello | Pela Cidade | Em Foco

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores

Tels: (21) 3628-0552 / 9613-8634
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Centro - Niterói/RJ | 24020-270
Email: dizjornal@hotmail.com

PROJETO GRÁFICO - Edgard Fonseca Comunicação Ltda.
TIRAGEM IMPRESSA: 16.000 Exemplares

Newsletter
Receba nossas edições no seu e-mail.

 
 

-----------------
Cultura e Cinema
DIZ pra mim... (que eu conto)...

-----------------
Internet
Falhas Fold...

-----------------
Documento
Nomes Próprios e o Destino da...

-----------------
Informes
Posse na Academia Niteroiense...

-----------------
Em foco
NITCOMICS...

-----------------
Egames
O 11º Combate Mortal...

-----------------
Tnews
Sapatinho de Cristal...

Chuvas X Políticos

Na ocasião do “acidente” de Brumadinho, escrevi aqui que muitos brasileiros são mestres em resgate de corpos, mas um perverso amador no que se refere a prevenção de acidentes, manutenção de equipamentos essenciais, etc.

Muitos são irresponsáveis, não cuidam da vida com esmero e, ainda por cima, votam mal, muito mal.

Esses terríveis acontecimentos com a última chuvarada no Estado do Rio mostram que estamos preparados para... Retirar corpos de escombros.

Não há dúvida que deixamos construir nos morros e que as chuvas arrastam tudo. Isso vai de pedras até vidas. No Rio, a prefeitura tinha apenas 20 homens da defesa civil para uma população de 6 milhões. Em Niterói, parece que a prefeitura se contentou em ligar as sirenes nas comunidades, dando um efeito pirotécnico, parecendo que estava ali, presente, quando na verdade, nada havia sido feito de concreto na ajuda aos favelados desde a última tragédia no Morro da Boa Esperança, em Piratininga. A queda dos barracos no Morro do Cavalão foi grave e foi sorte não ter havido vítimas fatais, como aconteceu no Rio de Janeiro.

O surgimento e crescimento desenfreado das favelas, que a moda chama de comunidades, são estimulados por vários fatores. Na Região Oceânica de Niterói a favela da Ciclovia, em Piratininga, “explodiu”; idem a comunidade do Jacaré e mais outras espalhadas por todos os bairros.

Ano que vem tem eleição para prefeito e vereadores e, logicamente, haverá romaria de candidatos em busca do voto dos favelados e favelizados, em alguns casos em troca de favores como o registro da posse de terra. Mesmo que seja terra podre, que vai despencar no primeiro temporal, não importa! A ganância eleitoral é incontrolável, e maior do que tudo.

Muitos candidatos vão subir os morros do Preventório, Estado, Cavalão, Palácio, alguns dispostos a fazer qualquer negócio em troca de votos, não importa com quem. Para muitos desses postulantes aos cargos eletivos a ética é uma ilusão de ótica que surge de tempos em tempos quando citá-la em discursos pode gerar votos.

Diante desse quadro, é o caso de perguntar o que faz a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, que é comandada por uma vereadora certamente amiga do prefeito, com uma atuação “muito discreta”. Não se entende bem o que a secretaria faz pelas pessoas que ficaram sem ter onde morar, além de perguntar se querem ou não ir para os abrigos municipais. O que faz a Secretaria do Idoso? E a Coordenadoria de Aluguel Social, Coordenadoria de Eventos? Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária? O que é Secretaria Municipal de Participação Social?

Diante do drama de uma cidade que padece com chuvas, com a falta de soluções ambientais, de habitação e qualidade de vida, além da segurança pública; é complicado tentar entender a lista de secretarias, coordenadorias, empresas que sustentamos quando vamos ao site da prefeitura (https://bit.ly/2Hs6Q0f ) e damos de cara com aquele espetáculo empreguista e desconectado com a necessária gestão eficiente. Tudo com aquele “modo petista de governar”.

Graças aos royalties do petróleo, Niterói é hoje uma cidade rica. Só este ano vai embolsar R$ 1,3 bilhão que correspondem a 41,8% do orçamento que é de R$ 3,2 bilhões. É muito dinheiro. Muito. Daria para a prefeitura fazer uma cidade ideal, sem arroubos de novo rico - como a milionária e mal parida Transoceânica,- mas, projetos bem mais simples, funcionais e baratos, a começar por um projeto ambiental e habitacional decente e não isso que aí está.


-----------------
Fernando Mello
Obra nas Coxas

-----------------
Fernando Mello
Chuvas X Políticos

-----------------
Fernando Mello
Prendeu Soltou

-----------------
Fernando Mello
Quem Matou Anderson Gomes e Marielle?

-----------------
Fernando Mello
A Vida é Demais

-----------------
Pela Cidade
A Enganação do BHLS de Niter...

-----------------
Pela Cidade
Posse na ANE...

-----------------
Pela Cidade
Nem te Conto...

-----------------
Pela Cidade
Aniversário de Marcia Pessanh...

-----------------
Pela Cidade
Posse na Academia Niteroiense ...

-----------------
Pela Cidade
Aplausos a Lomelino...

-----------------
Pela Cidade
Taverna do Monteiro...

-----------------
Pela Cidade
Feijoada da Taberna Monteiro...

-----------------
Pela Cidade
Taverna do Monteiro ...

-----------------
Pela Cidade
Confraternização da ANL...
 
Últimas Edições
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Niterói/RJ | (21) 3628-0552 / 9613-8634 | dizjornal@hotmail.com
Creat by EADesigns