Diz Jornal - Cultura e Cinema | Documento | Nutrição | Informes | Internet | Edgard Fonseca | Pelo Whats | E! Games | Fernando Mello | Pela Cidade | Em Foco

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores

Tels: (21) 3628-0552 / 9613-8634
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Centro - Niterói/RJ | 24020-270
Email: dizjornal@hotmail.com

PROJETO GRÁFICO - Edgard Fonseca Comunicação Ltda.
TIRAGEM IMPRESSA: 16.000 Exemplares

Newsletter
Receba nossas edições no seu e-mail.

 
 

-----------------
Edgard
Poderia Ficar Calado...

-----------------
Edgard
Cidadão Niteroiense...

-----------------
Edgard
Novo Acadêmico na ANF...

-----------------
Cultura e Cinema
DIZ pra mim... (que eu conto)...

-----------------
Internet
Educação a Distância Mesmo....

-----------------
Documento
O Mundo dos Youtubers...

-----------------
Fernando Mello
Cheque Especial Demais...

Uma Desastrosa Entrevista

A série de sabatinas criada pelo canal pago Globo News foi um sucesso. Foram entrevistados praticamente todos os candidatos à presidência da República e nós, como curiosos telespectadores, procuramos entender cada um e suas pretensões; o que pensa, como reage e o que ele foi e é diante deste Brasil da Lava-jato.

Evidentemente, quem está agitando o morno cenário eleitoral é o candidato Jair Bolsonaro, pois sempre foi contundente em suas respostas e está exatamente do lado oposto ao candidato petista, preso e cumprindo pena, Lula.

No dia anterior à entrevista do Bolsonaro, Geraldo Alckmin também foi entrevistado e pouco foi interrompido. Somente algumas questões delicadas lhes foram feitas. O bombardeio foi pequeno. Foi quase um bate papo entre amigos.

A imprensa livre é um dos fortes sinais da existência da democracia em uma nação. Essa liberdade democrática depende de um componente hoje muito esquecido por nós, brasileiros: a educação. É fato curioso a certeza nua e crua de que a nossa democracia está sendo muito mal utilizada. Uma democracia cheia de vícios e muitos setores que deveriam ser totalmente absolutamente imunes às ideologias interesseiras, como OAB/RJ, ABI e etc., hoje têm “um perfil político”, refém da ditadura do “politicamente correto”.

A entrevista com o candidato Jair Bolsonaro, em minha opinião, mostrou que nem sempre um plano para detonar determinado político dá certo. Mesmo que o mentor seja inteligente ou compromissado com este ou aquele político. O que deveria ser uma entrevista com jornalistas isentos e equilibrados se transformou numa tentativa de “derrubar” emocionalmente o candidato Bolsonaro. Claro que deu errado. Deu a impressão de que o candidato se encontrava naquelas arenas romanas para enfrentar famintos leões, como descrito nas histórias da Roma antiga. Porém, truculento, Bolsonaro não deixou tudo caminhar nas vontades dos seus entrevistadores.

A competente economista e jornalista Miriam Leitão, que infelizmente foi torturada quando era militante guerrilheira da esquerda, na época dos “anos de chumbo”, funcionou na entrevista como âncora/mediadora. Contudo, certamente ainda bastante (e evidentemente) traumatizada com a absurda tortura que sempre relatou a todos (por exemplo, foi deixada trancada numa sala escura com uma cobra), Míriam Leitão não conseguiu conter o seu ódio pelos militares e pareceu estar sentada diante da mesma cobra que a torturou. Ela não se conteve e, visivelmente transtornada, praticamente agrediu verbalmente o candidato. Uma pena porque suas perguntas sobre economia poderiam ser bastante desafiadoras e menos grosseiras.

O deputado é um fiel representante da direita brasileira. Jair Bolsonaro, evidentemente sabedor que tentariam massacrá-lo ao vivo, compareceu municiado de informações sobre a preferência pelos militares escrita por Roberto Marinho num editorial publicado no jornal O Globo, pelo jornalista chefe das organizações Globo, Roberto Marinho, em 7 de outubro de 1984, às vésperas do fim da ditadura militar e da retomada do governo federal pelos civis. Marinho morreu em 2003 sem mostrar qualquer arrependimento do que escreveu.

Em seguida, acusado de utilizar de forma errada o imóvel destinado aos deputados em Brasília, Bolsonaro contra-atacou dizendo que pagava os impostos sobre tudo que recebe na Câmara, “e vocês todos aqui abriram Pessoa Jurídica para não pagar impostos”.

Ou seja, a entrevista perdeu o foco e se transformou num debate entre jornalistas e o político. Um desperdício para os eleitores brasileiros.

Miriam Leitão, visivelmente constrangida e no fim da entrevista, ainda teve que ditar o que ouvia no ponto eletrônico, sem que o entrevistado tivesse o seu direito de resposta garantido, o que o Roberto Marinho escreveu no editorial de 1984 foi “retificado” em outro editorial de 2013, quando já havia falecido (em 2003)...

Total desrespeito à memória do falecido patrão e de suas convicções.


-----------------
Fernando Mello
Cheque Especial Demais

-----------------
Fernando Mello
Fechar o Supremo Tribunal Federal

-----------------
Fernando Mello
Cabeça Eleitoral

-----------------
Fernando Mello
Celeiro da Corrupção

-----------------
Fernando Mello
O Voto Facultativo

-----------------
Pela Cidade
Pedro Genn Desiste de Concorre...

-----------------
Pela Cidade
Toda Poesia do Cecchetti...

-----------------
Pela Cidade
Encontro de Corais...

-----------------
Pela Cidade
Chá Feminino de Adesão ...

-----------------
Pela Cidade
Encontro de Apoio...

-----------------
Pela Cidade
Mérito do Repórter...

-----------------
Pela Cidade
Festa da Família Lemos...

-----------------
Pela Cidade
Encontros...

-----------------
Pela Cidade
Lançamento Eleitoral de Suces...

-----------------
Pela Cidade
Marcando Presença...
 
Últimas Edições
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Niterói/RJ | (21) 3628-0552 / 9613-8634 | dizjornal@hotmail.com
Creat by EADesigns