Diz Jornal - Cultura e Cinema | Documento | Nutrição | Informes | Internet | Edgard Fonseca | Pelo Whats | E! Games | Fernando Mello | Pela Cidade | Em Foco

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores

Tels: (21) 3628-0552 / 9613-8634
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Centro - Niterói/RJ | 24020-270
Email: dizjornal@hotmail.com

PROJETO GRÁFICO - Edgard Fonseca Comunicação Ltda.
TIRAGEM IMPRESSA: 16.000 Exemplares

Newsletter
Receba nossas edições no seu e-mail.

 
 

-----------------
Edgard
Poderia Ficar Calado...

-----------------
Edgard
Cidadão Niteroiense...

-----------------
Edgard
Novo Acadêmico na ANF...

-----------------
Cultura e Cinema
DIZ pra mim... (que eu conto)...

-----------------
Internet
Educação a Distância Mesmo....

-----------------
Documento
O Mundo dos Youtubers...

-----------------
Fernando Mello
Cheque Especial Demais...

Esquerda Capitalista

 

O que houve, afinal, com a esquerda no Brasil? A nossa esquerda foi se envolvendo com os mais difíceis e estranhos personagens. Ela foi se enrolando de tal forma que a saída está difícil. Sempre e em todos os pronunciamentos a esquerda volta aos anos de chumbo onde afirmam sofrimentos em prol da sua democracia. Sim, da sua democracia.

A esquerda de hoje está longe, mas muito longe da esquerda que fundou o PT, da esquerda que fundou o PC do B e outros.

O passado pode não ser mais a arma para convencimento da população de que a ditadura foi isso e aquilo. Isso porque o povo está absolutamente convencido da atuação nefasta para o país dos governos esquerdistas de Lula e Dilma. E isso marcou definitivamente.

Não foi a direita que causou o atual desemprego. Todos sabem que foi a política equivocada de financiamentos criminosos (e até para o exterior, Cuba, Bolívia e Venezuela) que destruiu com a massa de empregos. Está doendo no bolso e na vida do brasileiro. Nefasto quando afiançou empréstimos para Angola.

Os julgamentos e prisões de Lula e Dirceu já demonstraram que a esquerda, representada neste caso pelo PT, partiu de vez para o mundo do crime. Para o povo, falar em partilhar a riqueza no PT significa dividir dinheiro entre amigos (entre eles, do PT). Assim, essa esquerda não engana mais ninguém.

Os recebedores do Bolsa Família sabem que estão recebendo o peixe e não a vara para pescar e que precisão votar no PT para garantir a “pescaria”.

O mundo mudou. Menos para a esquerda brasileira. Penso, sim, que o mundo nunca deixou de ser capitalista e que o certo mesmo fizeram os chineses com o seu “comunismo-capitalista”.

Aqui no Brasil, o que estragou a esquerda mesmo foi a corrupção em alto grau e que está bem enraizada e banalizada em nosso sangue e na nossa vida, infelizmente.

Somos um país cheio de contradições e comportamentos horríveis e louváveis.

Nada mais estranho do que barrar as evoluções da CLT, criada nos tempos do ditador Getúlio Vargas. Ninguém da esquerda tupiniquim enxerga que as leis trabalhistas precisam de urgente atualização e que o Brasil está completamente estagnado economicamente porque é um país com idéias e governos socialistas, com uma economia desgovernada que age de forma capitalista para os bancos, socialista para o povo e comunista em desempenho.

Por isso, acreditar no Brasil e investir nele é tido como um ato para poucos, já que não se sabe qual o populista estará no poder, se será o nacionalista de direita ou o nacionalista de esquerda.

A esquerda se perdeu no mundo. Menos na China, que teve que correr para modernizar a economia atrás da criação de empregos. Nesse aspecto o Partido Comunista Chinês não titubeou e criou condições para investimentos internos e garantiu liberdade para empresas internacionais usarem sua mão de obra. Isso resultou no crescimento do mercado interno da China e alavancou o crescimento muito além do esperado. Além disso, a China deu garantias especiais aos investidores internacionais, ou seja, a China hoje é um território que gera segurança aos investidores e compradores. E que de quebra melhorou muito a qualidade dos seus produtos. 

No Brasil, como sabemos, sequer pensamos em algo assim. Tratamos investimentos e investidores externos com desconfiança e empresas multinacionais são vistas como “inimigas” até hoje. Essa visão retrógada reflete a imagem da esquerda que vive lá nos anos 60.

Se continuarmos assim e com acréscimo da corrupção, o efeito Venezuela vai nos atingir.

Podemos ser socialistas, mas aprender a abrir a economia de verdade e dar as costas para a corrupção me parece um caminho óbvio, mas muito distante.

 


-----------------
Fernando Mello
Cheque Especial Demais

-----------------
Fernando Mello
Fechar o Supremo Tribunal Federal

-----------------
Fernando Mello
Cabeça Eleitoral

-----------------
Fernando Mello
Celeiro da Corrupção

-----------------
Fernando Mello
O Voto Facultativo

-----------------
Pela Cidade
Pedro Genn Desiste de Concorre...

-----------------
Pela Cidade
Toda Poesia do Cecchetti...

-----------------
Pela Cidade
Encontro de Corais...

-----------------
Pela Cidade
Chá Feminino de Adesão ...

-----------------
Pela Cidade
Encontro de Apoio...

-----------------
Pela Cidade
Mérito do Repórter...

-----------------
Pela Cidade
Festa da Família Lemos...

-----------------
Pela Cidade
Encontros...

-----------------
Pela Cidade
Lançamento Eleitoral de Suces...

-----------------
Pela Cidade
Marcando Presença...
 
Últimas Edições
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Niterói/RJ | (21) 3628-0552 / 9613-8634 | dizjornal@hotmail.com
Creat by EADesigns