Diz Jornal - Cultura e Cinema | Documento | Nutrição | Informes | Internet | Edgard Fonseca | Pelo Whats | E! Games | Fernando Mello | Pela Cidade | Em Foco

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores

Tels: (21) 3628-0552 / 9613-8634
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Centro - Niterói/RJ | 24020-270
Email: dizjornal@hotmail.com

PROJETO GRÁFICO - Edgard Fonseca Comunicação Ltda.
TIRAGEM IMPRESSA: 16.000 Exemplares

Newsletter
Receba nossas edições no seu e-mail.

 
 

-----------------
Edgard
Não ao Conflito...

-----------------
Edgard
Próximo Presidente Luciano Ba...

-----------------
Internet
Depósito sem Envelope...

-----------------
Cultura e Cinema
Moda Hi-Tech...

-----------------
Fernando Mello
Cabeça Eleitoral...

-----------------
Documento
O Tsunami Bolsonaro...

-----------------
Egames
Investimento em Games?...

Pesquisas para Confundir

Eleições no Brasil sempre foram desastrosamente desonestas. Sempre foram utilizadas informações falsas, difamações morais, injurias de toda espécie. É um ritual macabro que a cada pleito se sofistica mais, e são provocados danos ainda mais intensos. Na atualidade piorou bastante em função dos meios de comunicação que aceleram e disseminam todo tipo de informação. Através da TV interativa, Internet e Smartfones, se produz uma guerra suja em minutos. Esta prática de desconstruir reputações e induzir o eleitor a erro é o mais grave. Por trás destas manobras sujas existem milhares de interesses, tanto na esfera de poder, com nos ganhos financeiros. Entram bilhões nessas disputas sem que aparentemente apareçam. São os subterrâneos da disputa entre poderosos inescrupulosos e ladrões sem bandeira nem pátria.

A rigor, as pesquisas eleitorais foram criadas como o objetivo de mensurar as disputas e promover informações esclarecedoras, enriquecendo o debate. Tudo muito bonito, mas, na prática nada disso se aplica. As pesquisas se tornaram meios de troca e faturamento. São meios de indução e formação de opinião, nem sempre com a melhor intenção. Obedecem ao critério do cliente. Quem paga mais tem mais chance e são alçados a posições de liderança nas preferências, ainda que baseado num quadro falso. A vantagem nisso, é a existência de uma massa desinformada que se comporta como uma “manada inconsciente”, que se atira no abismo se um líder qualquer der o primeiro passo. O nosso inculto eleitorado encara uma eleição de candidatos como uma disputa pessoal. O indivíduo se comporta como se fosse ele que estivesse disputando a eleição, e não admite perder. Mete na cabeça que tem que ganhar a eleição de qualquer forma, ainda que tenha que mudar o seu voto, indo atrás de supostos favoritismos, só para votar em quem vai ganhar.

Aí, a pesquisa entra como fator determinante. Publicam que o candidato X, que não tinha a menor chance de ganhar, reagiu e numa semana cresceu 11 pontos, encostando-se ao líder real (que a esta altura está sendo boicotado e apresentado negativamente), dá “aquele entusiasmo” de que o perdedor “virou o jogo”. O eleitor incauto e consequentemente de valores morais e educacionais frágeis conservam padrões românticos, como: “estar sempre do lado do mais fraco”, que assim o torna mais humano e mais bondoso. Valores piegas cultivados durante anos para educar religiosamente e dominar uma massa que se comporta como crianças adestradas e sem oportunidades para pensar e mudar esta realidade.

As pesquisas eleitorais são instrumentos de manipulação de dados, e ainda que se portem aparentemente corretas, estão induzindo a grande maioria a responder aquilo que eles determinam, para validar suas ações, supostamente legítimas. É uma questão de metodologia e zoneamento. Se forem principalmente para um reduto favorável de um candidato, ainda que visitem outras localidades para dar sustentação jurídica à pesquisa, aquele candidato, direcionado pelos pesquisadores vai estar muito à frente dos demais. Com isso, se produz a “seretonina eleitoral” que é a sensação de conforto e aquiescência da ideia da vitória de um candidato direcionado para vencer. E no mais, considerando a fragilidade das urnas eletrônicas, que se supõe a possibilidade de serem fraudadas, os resultados falsos lastreiam e justifica a sua vitória do candidato, ainda que fraudulenta. Tem candidato que nem faz campanha, mas aparece bem posicionado nas pesquisas para justificar a compra de votos. O mais incrível é que são sempre os mesmos, denunciados, todo mundo sabe da prática, mas, como “nada se provou”, apesar de tantos indícios, se reelegem em todos os pleitos, impunemente.

Pesquisas eleitorais não deveriam ser publicadas, e ficariam restritas aos partidos, candidatos e meios de comunicação, apenas como orientação. Não deveriam influenciar resultados. Uma pesquisa na boca da urna pode mudar os resultados de uma eleição, considerando o alto percentual de pessoas que vão para fila de votação, indecisas ou sem saber em quem votar.

Não devemos nos influenciar por pesquisas eleitorais, pois invariavelmente representa um interesse embutido, nem que seja o grosso faturamento dos sócios do Instituto de Pesquisa.

Nem tudo que se ouve e vê nos meios de comunicação representam a verdade. As chamadas “Fakes News” estão em todos os lugares. Tem partidos utilizando robôs eletrônicos em Redes Sociais, para curtir notícias de interesse guiado, para rebater posts com palavras de ordem, como “#Lula Livre”. São gastos milhões com estas práticas, impiedosamente. Mas, o dinheiro gasto nada custou para eles. É fruto dessa roubalheira indiscriminada na Petrobrás, Na Saúde, nos Fundos de Pensão, nos superfaturamento de obras, etc. É dinheiro público, consequentemente de todos os brasileiros usados contra todos nós.

Não se pode crer em notícias plantadas, assim como não se pode crer em resultados de pesquisas. Aquilo representa apenas, como uma foto momentânea, produzida e induzida maliciosamente. Não se deixem enganar e vamos lutar pela proibição da divulgação dessas pesquisas que mais nos atrapalham do que ajudam. 

#Não às Pesquisas Eleitorais.


-----------------
Documento
O Tsunami Bolsonaro

-----------------
Documento
Pesquisas para Confundir

-----------------
Documento
O Voto Útil Transformador

-----------------
Documento
A Ameaça dos Mitos na Política

-----------------
Documento
O Aparelhamento Político nas Universidades e Escolas

-----------------
Informes
Acervo Fotográfico...

-----------------
Informes
Contra a Pedofilia...

-----------------
Informes
Novo Fórum Federal...

-----------------
Informes
Ano Novo Judaico...

-----------------
Informes
Lançamento de Candidatura...

-----------------
Informes
Inauguração de Comitê Icara...

-----------------
Informes
Candidatura Irreversível...

-----------------
Informes
Busto de Angelo Longo...

-----------------
Informes
Resgate Familiar...

-----------------
Informes
Mensagem aos Advogados ...
 
Últimas Edições
Rua Cônsul Francisco Cruz nº 03 - Niterói/RJ | (21) 3628-0552 / 9613-8634 | dizjornal@hotmail.com
Creat by EADesigns